Luka Jovic, a noitada que roubou-lhe a titularidade no Benfica e os 5 golos marcados num só jogo

Luka Jovic, a noitada que roubou-lhe a titularidade no Benfica e os 5 golos marcados num só jogo

Desporto

Luka Jovic, a noitada que roubou-lhe a titularidade no Benfica e os 5 golos marcados num só jogo

O avançado foi emprestado por dois anos, tendo o Eintracht Frankfurt direito de opção de compra definitiva, fixada em 12 milhões de euros.

Artigo de Equipa Paraeles

15-03-2019

O sorteio da Liga Europa colocou os alemães do Eintracht Frankfurt no caminho do Benfica, o que quer dizer que Luka Jovic vai voltar ao Estádio da Luz, ainda na condição de emprestado pelas águias ao conjunto alemão. Por outro lado, isto quer dizer também que Seferovic vai voltar a uma casa que bem conhece, uma vez que o avançado sérvio foi incluindo no negócio que trouxe o suíço para a Luz.

Ainda esta temporada, o avançado Luka Jovic, emprestado pelo Benfica ao Eintracht Frankfurt, entrou para a história do clube e da liga alemã, ao marcar cinco golos no espaço de 45 minutos no triunfo por 7-1 frente ao Fortuna Düsseldorf, em jogo da 8.ª jornada da Bundesliga.

Veja também: Ganhe quase 400 euros com esta aposta múltipla

De acordo a Opta, especialista em dados estatísticos do futebol, o sérvio é agora, aos 20 anos e 300 dias, o futebolista mais jovem de sempre a marcar cinco golos num jogo da Bundelisga e o primeiro jogador do Eintracht Frankfurt a balançar as redes adversárias tantas vezes no mesmo encontro.

As cenas quentes da ex de CR7. Veja o vídeo:

Luka Jovic assume erros na passagem pelo Benfica

Luka Jovic rumou ao Eintracht Frankfurt inserido no negócio de Seferovic e teve uma primeira época de bom nível. O avançado sérvio vai continuar no clube alemão e agora revelou o que falhou no Benfica.

“Havia forte competição, pois estavam lá Mitroglou, Jonas e Jiménez, mas a verdade é que não tive hipóteses por causa dos meus próprios erros. Esse foi o principal e único motivo” disse ao Mozzart Sport, da Sérvia.

Veja também: Ganhe quase 400 euros com esta aposta múltipla

“Saí do Estrela Vermelha muito jovem, não era o meu desejo. E, assim que saí, vi o Estrela Vermelha a ganhar, e aqueles jogos com o Ludogorets, uma grande atmosfera no Marakana [o estádio do cube de Belgrado]. Não foi fácil, talvez não tenha amadurecido psicologicamente. Na essência, fui demasiado cedo. E tenho a certeza que muitos jogadores mais experientes não teriam grandes oportunidades perante os jogadores que referi. O Mitroglou jogava quase todos os jogos quando eu estava em Lisboa. E quando não era ele, entrava o Jiménez e resolvia. Era difícil”, prossegue.

“Mitroglou estava nervoso, ouvi-o a dizer palavrões em grego”

“Não era profissional. Tinha um problema na cabeça, sofri com as saudades e cometi erros graves. Houve uma altura em que Mitroglou estava em má forma e Jiménez lesionado, enquanto eu comecei a marcar pela equipa B. Foi a minha melhor semana de treinos no Benfica… Tudo me saía bem. Marcava à esquerda, à direita, batia o Ederson. Tudo o que tentava, marcava. Colocava a bola entre as pernas de todos. Na quinta-feira, dois dias antes de um jogo, o treinador colocou-me a treinar com a equipa principal. Mitroglou estava nervoso, ouvi-o a dizer palavrões em grego. Parece que sentia que eu iria ser titular. Rui Costa veio ter comigo depois do treino e disse-me ‘Vês que consegues, isto és tu, está tudo na tua cabeça. É isto que quero ver em ti constantemente’. No entanto, saí nessa noite. Fiquei até depois da meia-noite e eles viram-me. Claro que nem estive entre os 18 convocados”, lamentou. O avançado foi emprestado por dois anos, tendo o Eintracht Frankfurt direito de opção de compra definitiva, fixada em 12 milhões de euros.

A chegada ao Benfica

Foi no verão de 2015, com apenas 18 anos, que Jovic assinou pelo Benfica, transferido do Estrela Vermelha. Vinha catalogado como uma das grandes promessas do futebol sérvio e custou qualquer coisa como 6,5 milhões de euros. No entanto, na Luz, limitou-se a efetuar cinco minutos na equipa principal nessa temporada de estreia e 32 minutos na temporada seguinte, sem qualquer golo marcado. Foi essencialmente utilizado na equipa B, onde o seu rendimento deixou muito a desejar: dois golos em 13 encontros na época 2016/17 e dois golos em seis desafios na temporada de 2015/16.

 

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

15-03-2019



RELACIONADOS