Regressam os Alpes e as vitórias de Hunt no Red Bull Cliff Diving

Regressam os Alpes e as vitórias de Hunt no Red Bull Cliff Diving

Desporto

Regressam os Alpes e as vitórias de Hunt no Red Bull Cliff Diving

A figura mais carismática e com maior sucesso do Red Bull Cliff Diving World Series voltou à sua melhor forma depois de uma longa travessia do deserto.

A décima temporada do Red Bull Cliff Diving World Series continua a revelar-se uma das mais competitivas de sempre. No último fim de semana (4 e 5 de agosto) reuniu nas águas espelhadas do lago Lucerna, nas proximidades da aldeia de Sisikon, na Suíça, os melhores saltadores do planeta para a disputa da quarta (masculinos) e terceira (femininos) etapas de 2018 – três semanas depois do encontro nos Açores.

Com vista para os Alpes, esta etapa regressou ao calendário depois de uma longa ausência de oito anos. Provando que a história muitas vezes se repete, a vitória acabou por sorrir ao mesmo atleta que venceu aqui pela última vez em 2010 – o britânico Gary Hunt: “Este foi um triunfo com um sabor especial, pois consegui mostrar a mim mesmo que superei o bloqueio mental que me colocou para baixo nos últimos tempos. Na verdade, este bloqueio deixa as suas marcas e há ainda aspetos a melhorar, mas sinto-me como um homem que se reergueu e é isso que importa”. Hunt tinha já dado sinais de progressão nos Açores, onde chegou ao último lugar do pódio. Na Suíça subiu mais alto acompanhado, respetivamente, do mexicano Jonathan Paredes e do norte-americano Andy Jones.

A grande sensação das primeiras etapas do ano, o norte-americano Steven LoBue, procurou aqui melhorar o seu record pessoal com um “hat trick” inédito, mas acabou por não conseguir ir além da sexta posição. Ainda assim mantém-se no comando da classificação geral.

 

 

“Depois do salto final não consegui conter as lágrimas”

Em femininos houve também lugar para algumas surpresas, sendo a maior sem dúvida a vitória da canadiana Lysanne Richard – que esteve ausente durante a última época devido a uma lesão grave no pescoço: “Depois do salto final não consegui conter as lágrimas. Estar de volta à competição depois da minha lesão já foi uma grande vitória, mas ganhar foi algo que me deixou muito sensibilizada”. O pódio ficou completo, respetivamente, com a australiana Iffland e a wildcard britânica Macaulay.

A próxima etapa está marcada 25 de agosto, em Copenhaga, na Dinamarca.

Toda a ação dos Sisikon pode ser revista na Red Bull TV. Os fãs podem também receber as últimas notícias, vídeos e fotografias no seu smartphone graças ao novo serviço de mensagens (Red Bull Cliff Diving Messenger Service), através das aplicações WhatsApp e Facebook Messenger.

Fotos: Red Bull

 

Artigo de
Hugo Mesquita

RELACIONADOS