Saiba o risco que corre por adormecer com a televisão ligada

Saiba o risco que corre por adormecer com a televisão ligada

Lifestyle

Saiba o risco que corre por adormecer com a televisão ligada

Adormecer com a televisão ligada, quem nunca? É um comportamento comum e cada vez mais atual com o fenómeno Netflix, mas acarreta riscos para a saúde.

Artigo de Hugo Mesquita

10-07-2020

Quem nunca adormeceu no sofá a ver televisão? Todos nós já passámos por isto pelo menos uma vez na vida e agora com o “binge watch” da Netflix, adormecer com a televisão ligada até pode ser um comportamento cada vez mais comum. No entanto, é importante saber que acarreta alguns riscos para a nossa saúde. Sobretudo para aqueles que usam a televisão para adormecer.

Leia ainda: 5 bons motivos para começar a comer ovos com mais frequência

Um estudo norte-americano, publicado no JAMA Internal Medicine, analisou o estilo de vida e saúde de perto de 45 mil mulheres norte-americanas, entre 35 a 74 anos e notaram que adormecer com a televisão ligada pode ter uma consequência direta no peso. Isto é, este comportamento pode fazer com que ganhe peso.

Veja o vídeo:

Adormecer com a televisão ligada? Pode ganhar 11 quilos à conta deste comportamento

A investigação apurou que as mulheres que usavam uma pequena luz noturna mantinham o peso,e que aquelas que adormeciam com muita luz ou televisão tinham 17% mais chances de ganharem cerca de 11 quilos ao longo de um período de cinco anos. Um número realmente impressionante e que tem uma justificação aparentemente simples.

Veja também: Três sinais que mostram se a cara-metade está realmente apaixonada

A razão por trás disto, especulam os investigadores, tem um nome: melatonina. Esta hormona é conhecida como a hormona do sono e, segundo estes especialistas, é suprimida quando a luz artificial da televisão interrompe os ritmos circadianos. Desta forma, não deixa o corpo descansar por completo.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
Hugo Mesquita

10-07-2020



RELACIONADOS