Dores de costas: As 10 profissões de maior risco

Dores de costas: As 10 profissões de maior risco

Lifestyle

Dores de costas: As 10 profissões de maior risco

As dores de costas são um dos principais problemas de saúde deste século. Saiba quais são as profissões que apresentam um maior risco neste capítulo.

Artigo de Equipa Paraeles

18-10-2019

Infelizmente, as dores de costas são cada vez mais comuns. O sedentarismo, que implica que estar numa mesma posição – muitas vezes deficiente – por várias horas, contribui cada vez mais para esta situação. Para complicar ainda mais o problema, existem também cada vez mais profissões que exigem o estar várias horas com a mesma postura. Isso é visível no crescente número de “profissões de secretária”, mas estas não são caso único.

A North American Spine Society (NASS) apresentou uma lista com as 10 profissões que apresentam um maior risco para a saúde da nossa coluna. O médico especialista em patologia da coluna, Luís Teixeira, abordou o problema numa entrevista ao site Sapo Lifestyle. E explicou, caso a caso, que desafios cada profissão apresenta para a nossa coluna.

Veja o vídeo:

As 10 piores profissões para dores de costas:

Motoristas. O especialista justifica esta escolha com o facto de os motoristas de vários tipos passarem várias horas sentados e são ainda muitas vezes obrigados a carregar pesos de bagagens e mercadorias. O especialista aponta mesmo a profissão de motorista como a mais problemática para as costas.

Dentistas ou cirurgiões. Neste caso coloca-se de novo o facto de passarem várias horas na mesma posição. A isso acresce o facto de terem de mudar várias vezes a posição do pescoço, torcendo a região cervical, colocando enorme pressão na coluna.

Trabalhadores da construção civil. O problema neste caso prende-se com a maquinaria pesada com que estes trabalhadores exercem a sua profissão a que acresce também o excesso de vibrações. Sofrem, muitas vezes, de falta de descanso.

Leia ainda: 5 alimentos que não deve reaquecer no microondas

Trabalho de escritório. Como já referido anteriormente, o problema deste tipo de profissão prende-se com o facto de os trabalhadores passarem várias horas inertes, na mesma posição.

Mães a tempo inteiro. Andar muitas vezes com uma criança ao colo ou com uma mala pesada carregada de biberons, brinquedos, fraldas e afins é um verdadeiro convite para as dores de costas.

Empregados fabris. Neste caso o problema prende-se com o facto de estes trabalhadores terem um trabalho monótono, que os obriga a movimentos repetidos, na mesma posição, durante um longo período de tempo.

Profissão de enfermeiro enfrenta problemas identificados em todas as outras ocupações

Mecânico. Esta profissão exige que o trabalhador adote várias posições incómodas, principalmente no que às costas diz respeito, para conseguirem observar da melhor forma todas as zonas do veículo.

Empregado de armazém. O problema nesta profissão está no facto destes trabalhadores terem que carregar com caixas ou caixotes pesados. Carregá-las faz uma pressão forte na coluna.

Enfermeiro. Esta profissão é uma das mais exigentes a nível físico e psicológico. Coloca-se ao enfermeiro muitos dos problemas apontados anteriormente a outras profissões. Andam várias horas em pé, sob forte stress e precisam muitas vezes de carregar doentes.

Trabalhos manuais. As profissões que requerem trabalho manual são das mais perigosas para as costas e coluna. Profissões como limpeza de ruas, jardinagem ou trabalhar nas obras. “Usar ferramentas pesadas como berbequins ou retroescavadoras, repetir as mesmas tarefas e passar o dia a virar e a torcer o corpo não são boas práticas para a coluna”, explica o especialista.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

18-10-2019



RELACIONADOS