Dicas para uma escapadinha perfeita na vibrante cidade de Hamburgo

Dicas para uma escapadinha perfeita na vibrante cidade de Hamburgo

Lifestyle

Dicas para uma escapadinha perfeita na vibrante cidade de Hamburgo

É uma das mais importantes cidades portuárias do mundo e em 2018 foi escolhida pelo “Lonely Planet” na categoria de “Top Cities”.

Artigo de André Cruz Martins

10-06-2019

Hamburgo, no norte da Alemanha, é a segunda maior cidade do país, apenas atrás de Berlim, tendo uma população de cerca de 1,8 milhões de pessoas. Destaca-se por ser uma das mais importantes cidades portuárias do mundo e em 2018 foi escolhida pelo “Lonely Planet” na categoria de “Top Cities”.

Hamburgo é uma cidade vibrante e alegre que também se destaca pela quantidade de igrejas. E para quem gosta de compras, vai encontrar tudo o que necessita numa das maiores ruas comerciais do mundo. À chegada, os turistas devem comprar o Hamburg Card, que lhes dará acesso a todos os transportes públicos da cidade: autocarro, metro e ferry. E que ainda proporciona descontos em muitas atrações turísticas, cafés e restaurantes parceiros. Dois dias são o suficiente para visitar esta bonita cidade.

Hauptbahnhof, a majestosa porta de entrada

Se chegar a Hamburgo de transportes públicos irá muito possivelmente fazê-lo através da enorme Hauptbahnhof, a estação central da cidade. É ela própria um ícone de Hamburgo. À saída da estação deparamo-nos com a Mönckebergstrasse, uma rua onde se encontram grandes marcas internacionais de roupa. Também é servida por bons restaurantes e cafés.

É na Mönckebergstrasse que fica o Europa Passage, um enorme centro comercial com cinco pisos.
Ali bem perto fica a Hauptkirche St. Jacobi, uma das igrejas alemãs do Caminho de Santiago. E quase ao lado encontra-se a Hauptkirche Sankt Petri, a mais antiga da cidade. Ambas merecem uma visita.
De seguida, dirija-se para Jungfernstieg, a mais famosa rua pedonal da cidade.

Leia ainda: Florianópolis, o Brasil do surf e das vilas pitorescas

Enquanto vai caminhando, observe de um lado o Binnenalster, um grande lago artificial e do outro lado a Rathaus, a Câmara Municipal. Este edifício neo-renascentista é o quinto na história da cidade, depois dos anteriores terem sido destruídos por guerras e pelo grande incêndio de 1842, que destruiu cerca de um quarto da cidade. O edifício está aberto a visitas e no interior destacam-se deslumbrantes salões. No pátio interior, encontram-se os brasões das cidades com as quais Hamburgo mantinha trocas comerciais, uma das quais era Lisboa.

Mais igrejas imponentes

Depois, é hora de seguir pela zona de Hopfenmarkt e apreciar as ruínas da igreja gótica de St. Nikolai. Foi construída em 1195 como uma pequena capela perto do porto, em homenagem a São Nikolai, o patrono dos marinheiros e viajantes. Acabou por ser destruída pelo grande incêndio de 1842, quando já era uma igreja bem maior. Depois disso foi reconstruída em estilo neogótico e a sua torre com 147 metros de altura já foi a mais alta do mundo.

Na Segunda Guerra Mundial, a torre serviu de referência aos pilotos dos ataques aéreos dos aliados a Hamburgo. Ali bem perto, terminamos o nosso roteiro de igrejas com a mais grandiosa de todas, a de Sankt Michaelis, com a sua grande torre do relógio. Pode subir até lá cima e a 132 metros de altura, desfrutar da melhor vista da cidade.

Pela zona do porto

Como já referimos, Hamburgo é uma importante cidade portuária. Nada melhor do que começar o seu segundo dia na cidade com uma visita à zona do porto. É lá que fica o Fischmarkt de St.Pauli, o principal mercado de peixe da cidade. Trata-se de uma zona muito movimentada às primeiras horas da manhã, com a população em busca do melhor peixe, antes que esgote.

Veja também: 10 locais incríveis para acampar por esse mundo fora

Com o passar dos anos, esta zona foi aumentando o seu espaço e passou a vender todo o tipo de comida, em pequenas barracas. Ainda na zona do Porto, fica o Elbphilarmonie, um grande centro cultural que reúne salas de espetáculos, hotéis e lojas. Uma das melhores formas de apreciar a paisagem da cidade é através de um passeio de barco pelo rio Alster. Existem diversos tipos de embarcações, das maiores a outras mais pequenas. Os passeios panorâmicos têm normalmente entre uma hora e uma hora e meia de duração.

Os museus e a Red Light District

Da parte da tarde, dirija-se para a Speicherstadt, um bairro com grande oferta cultural, onde se destaca o museu Miniatur Wunderland, um dos maiores museus de miniaturas do mundo. Neste bairro encontra-se ainda o Museu Marítimo Internacional, um magnífico acervo exposto num prédio de dez andares que conta a história de 3 mil anos de navegação.

As peças mais antigas têm mais de 4 mil anos de idade e o seu valor é calculado em mais de 100 milhões de euros. Ao final da tarde pode dirigir-se para o bairro de St. Pauli, zona cheia de restaurantes e bares. A rua Reeperbahn é conhecida pela Red Light District de Hamburgo, estando cheia de clubes de strip, sex shops e bordéis.

A gastronomia

Uma das zonas onde melhor se come em Hamburgo é o pequeno Bairro Português, com restaurantes de comida tradicional portuguesa. E a verdade é que boa parte dos clientes são germânicos, convertidos às delícias de pratos como cozido e bacalhau e ao pastel de nata. No entanto, certamente não veio a Hamburgo para comer pratos portugueses, mas para provar as iguarias locais. Um dos pratos mais famosos é o Wiener Schniztel, de inspiração austríaca e que mais não é do que simples mas delicioso bife panado.

Experimente também o Fischbrötchen, uma sandes de peixe com arenque ou camarão. E não deixe de provar a Currywurst, uma salsicha branca com molho picante de tomate e curry, acompanhada por batatas fritas, tudo dentro de pão branco. Todos os cafés e padarias de Hamburgo vendem o Franzbrötchen, um pãozinho folhado recheado com açúcar e canela, muitas vezes servido quente. Também pode ser feito com passas, chocolate, nozes ou maçã.

Percorra a galeria e veja mais fotos de Hamburgo.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
André Cruz Martins

10-06-2019



RELACIONADOS