Como chegar à Antártida e as melhores atividades para fazer neste continente remoto

Como chegar à Antártida e as melhores atividades para fazer neste continente remoto

Lifestyle

Como chegar à Antártida e as melhores atividades para fazer neste continente remoto

Durante séculos a beleza natural deslumbrante da Antártida não era acessível aos comuns mortais, sendo exclusiva de exploradores como Thomas Cook e James Ross Clark. Muito mudou nos últimos anos e hoje em dia, quem tiver espírito aventureiro e dinheiro para gastar pode viajar para o mais meridional e mais remoto dos continentes.

Artigo de André Cruz Martins

07-01-2020

Durante séculos a beleza natural deslumbrante da Antártida não era acessível aos comuns mortais, sendo exclusiva de exploradores como Thomas Cook e James Ross Clark. Muito mudou nos últimos anos e hoje em dia, quem tiver espírito aventureiro e dinheiro para gastar pode viajar para o mais meridional e mais remoto dos continentes. À sua espera terá icebergs imponentes e a possibilidade de observar vida animal, com pinguins e focas-elefante em primeiro plano. E já existe a possibilidade de ficar alojado num hotel em plena Antártida, embora não seja para todas as bolsas. Chama-se White Desert´s Whichaway Camp e os preços começam nos 9800 euros, isto para apenas duas noites e uma excursão pelo continente.

Como chegar à Antártida

A primeira pergunta que é colocada por quem quer viajar para a Antártida é: como chegar lá? Não é fácil, mas já foi muito pior. A melhor forma é chegar ao extremo sul da América do Sul e depois pode optar por cruzeiro, normalmente desde a cidade portuária argentina de Ushuaia ou de Punta Arenas, no Chile. A viagem dura praticamente dois dias. E vai ter de passar pelo temível Mar de Drake, onde os oceanos Atlântico e Pacífico se encontram.

Leia ainda: Os melhores destinos para ver auroras boreais

A forma mais rápida é seguir de avião desde o sul do Chile, percurso que dura apenas cerca de duas horas. No entanto, tem três desvantagens face aos cruzeiros: é mais caro, existe menos disponibilidade de datas e a possibilidade dos voos serem adiados devido às más condições climatéricas é maior. Por vezes, os turistas têm de esperar vários dias até haver autorização para o avião levantar voo.

Vá no verão e faça excursões

A melhor altura para conhecer a Antártida é o verão (inverno em Portugal). O frio continua a ser impressionante, entre os 30 graus negativos e os 15 graus negativos, o que apesar de tudo nada tem a ver com os mais de 60 graus negativos de outras épocas do ano. Por outro lado, no verão, chega a haver 20 horas de sol.

Veja também: Conheça cinco emblemáticas cataratas da Noruega, o país com maiores quedas de água do mundo

A maneira mais adequada para conhecer o “continente branco” é através de excursões organizadas. Os passeios são feitos em botes motorizados e contam com guias-cientistas a bordo. A atividade mais usual é observar icebergs e ter a oportunidade de os ver deslizar a poucas dezenas de metros da embarcação. Outra experiência inesquecível é caminhar em cima de um glaciar. E aí perceberá a sua indescritível beleza e que assumem tonalidades esverdeadas e azuladas.

Incrível vida animal

Os pinguins são os verdadeiros reis deste continente. Há aos milhares e não terá qualquer dificuldade em observar várias colónias destes animais. Nestas excursões, terá oportunidade de chegar bem perto delas e de saber mais sobre a forma como se reproduzem e como se alimentam. Pode também avistar outros mamíferos, com destaque para as focas-elefante e para as várias espécies de baleias que aqui habitam. Mas também há orcas, elefantes marinhos e lobos- marinhos. A Antártida também é um paraíso para os observadores de aves. Existem muitas espécies e as mais comuns são os albatrozes, os petréis e as gaivotas rapineiras.

Percorra a galeria e veja mais fotos da Antártida.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
André Cruz Martins

07-01-2020



RELACIONADOS