Aljezur e Odeceixe, os destinos da Costa Vicentina para quem não gosta de multidões

Aljezur e Odeceixe, os destinos da Costa Vicentina para quem não gosta de multidões

Lifestyle

Aljezur e Odeceixe, os destinos da Costa Vicentina para quem não gosta de multidões

Separados por 16 quilómetros, Aljezur e Odeceixe, no coração da Costa Vicentina, são dois excelentes destinos de verão, com a vantagem de não terem muitos turistas.

Artigo de André Cruz Martins

25-08-2019

Separados por 16 quilómetros, Aljezur e Odeceixe, no coração da Costa Vicentina, são dois excelentes destinos de verão, com a vantagem de não terem muitos turistas. O concelho tem alguma das melhores praias de Portugal e paisagens deslumbrantes, entre a serra e o mar, que abrigam diferentes habitats naturais e uma elevada biodiversidade. Possui ainda uma arquitectura tradicional, com igrejas e museus que merecem ser visitadas. Não podemos deixar de mencionar os vestígios arqueológicos que demonstram bem da sua importância nos tempos pré-históricos. Não deixe de provar a maravilhosa gastronomia e se gostar de caminhar, saiba que pelo concelho passa a Rota Vicentina, um dos mais emblemáticos percursos pedestres em Portugal.

Praia de Odeceixe, uma das 7 Maravilhas-Praias de Portugal

O concelho de Aljezur tem uma orla costeira com mais de 40 quilómetros de extensão e reúne algumas das praias mais paradisíacas de Portugal. Começamos por fazer referência à Praia de Odeceixe, que foi classificada como uma das 7 Maravilhas – Praias de Portugal. Localizada no extremo norte do concelho de Aljezur, tem a particularidade de conter uma praia fluvial. Tem por isso banhos de mar e de rio. A praia apresenta elevada qualidade paisagística e biodiversidade, podendo desfrutar-se de uma magnífica paisagem do topo das arribas.

Leia ainda: O roteiro perfeito de três dias pelo Centro de Portugal

Essas arribas são o habitat privilegiado para muitas aves, proporcionando excelentes condições para “birdwatching”. Algumas das espécies que aqui vivem são a cegonha branca, o falcão-peregrino e a gralha-de-bico-vermelho. Este é o único local do mundo onde é possível observar-se as cegonhas que nidificam nos rochedos marítimos.

Outras praias com grande beleza natural

A Praia da Arrifana encontra-se na pequena povoação piscatória da Arrifana, numa zona de elevada importância ecológica e beleza natural. O seu areal tem cerca de 500 metros e a praia é protegida por altas arribas xistosas. Isso tem como resultado a formação de uma pequena baía, sendo por isso a praia menos batida pelo vento e pela forte rebentação das ondas.No topo sul desta praia encontramos uma grande rocha vertical no mar, que parece uma estátua gigantesca, denominada por Pedra da Agulha.

A Praia de Monte Clérigo tem um vasto areal no norte e uma plataforma rochosa no extremo sul, onde se formam poças de maré. É o habitat perfeito para a profusão de anémonas, pequenas medusas, mexilhões, lapas, ouriços-do-mar, estrelas-do-mar, camarões e caranguejos. E ainda de pequenos peixes, que são o chamariz para as muitas gaivotas que por ali passam. Destaca-se ainda imponentes recortes das arribas em xisto, nomeadamente a Ponta da Rocha e o Penduradouro.

A Praia da Amoreira destaca-se pela paisagem fantástica com a baixa-mar, colocando a descoberto formações rochosas e extensas lagoas no areal. Na continuidade do vasto areal encontra-se um extenso campo dunar e a ponta sul é um local privilegiado para a pesca à linha.

Elementos arqueológicos relevantes

O concelho de Aljezur tem uma grande importância arqueológica. Destaca-se o primeiro povoado islâmico de pescadores descoberto em Portugal. Localiza-se numa alta arriba junto ao mar da Carrapateira. O espólio é do século XII e a localização das casas indicam que se trataria de um povoado que se dedicava essencialmente à pesca e à agricultura.

Outro vestígio de tempos longínquos é o Ribat da Arrifama, o único conhecido em Portugal e o segundo na Península Ibérica. Eleito monumento nacional, é um convento-fortaleza constituído por uma necrópole, várias mesquitas com oratórios e aposento para os monges.

A rota vicentina

Pelo concelho de Aljezur passa a Rota Vicentina, um dos mais emblemáticos percursos pedestres em Portugal e que liga a cidade de Santiago do Cacém e o Cabo de S. Vicente. Ao todo são 350 quilómetros, constituídos por dois trilhos. O trilho histórico percorre as principais vilas e aldeias por caminhos rurais, a pé ou de BTT, num total de 12 etapas, perfazendo 230 quilómetros.

Veja também: O campismo de luxo às portas de Lisboa

O trilho dos pescadores, sempre junto ao mar, segue os caminhos usados pelos locais para acesso às praias e pesqueiros. É percorrível apenas a pé, ao longo das falésias, e inclui um conjunto de quatro etapas e cinco circuitos complementares, num total de 120 quilómetros. A Rota Vicentina atravessa vários locais do concelho de Aljezur, tais como Odeceixe, Aljezur, Arrifana, Carrapateira, permitindo apreciar uma bela paisagem.

O património religioso

O concelho de Aljezur está muito bem servido de igrejas. Destaca-se a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Alva, situada na vila de Aljezur e que foi construída no final do século XVIII. Em estilo neoclássico, o seu interior é caracterizado pelas três naves, transepto e capela-mor absidal profunda.

A igreja da Nossa Senhora da Piedade, em Odeceixe, foi edificada entre o início do século XIV e o final do século XV. Foi sendo restaurada ao longo dos tempos e atualmente subsistem vestígios do tempo do Rei D. João II, ou seja, das obras realizadas em 1527. De realçar a magnífica coroa da Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Odeceixe, mandada esculpir em 1564/1565, em prata lavrada.

A igreja da Misericórdia é caracterizada pelo seu portal renascentista de 1577. No seu interior tem uma só nave, um pequeno arco triunfal e retábulo-mor feito em madeira, com decorações em talha barroca com transição para o rococó. Possui ainda uma tributa com cadeiral em madeira ornado com o brasão da Santa Casa da Misericórdia.

A fantástica gastronomia

O concelho de Aljezur é rico em peixe, nomeadamente sargos, douradas e robalos. Também há marisco em abundância (ouriços, lapas, mexilhão e perceves). Existe a tradição de bons pratos de caça, com destaque para o coelho e para o javali. As sobremesas típicas são os pastéis, bolo e pudim de batata-doce.

Não perca: O destino de praia e golfe que fica às portas do Algarve

Destacamos o restaurante Taberna do Gabão, na vila de Odeceixe, com o peixe fresco, a feijoada de búzios e o bacalhau assado a serem as estrelas da companhia. Se quiser carne, pode deliciar-se com o naco de novilho à francesa e a carne de porco à alentejana.

A Cervejaria Mar, na vila de Aljezur, tem percebes, caracóis, camarão e gambas fritas, búzios, amêijoas e pica-pau. E ainda cataplana de perdiz e lagosta, arroz de lingueirão e massada de marisco. Para acompanhar, pode escolher cervejas artesanais portuguesas como a Dois Corvos, a Sovina, a Praxis e a Musa.

Percorra a galeria e veja mais imagens de Aljezur e Odeceixe.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
André Cruz Martins

25-08-2019



RELACIONADOS