Teresa Pais: “Ia ficar apenas uns dias no México, mas este lugar roubou-me o coração”

Teresa Pais: “Ia ficar apenas uns dias no México, mas este lugar roubou-me o coração”

Entrevistas

Teresa Pais: “Ia ficar apenas uns dias no México, mas este lugar roubou-me o coração”

Perfeitamente adaptada à nova realidade, Teresa Pais não pensa voltar a viver em Portugal, sabe bem o que quer para o futuro e isso passa por construir um surf camp e viver tranquila junto ao mar. Só ainda não decidiu o país.

Artigo de João Cidra

29-05-2018

Teresa Pais está a viajar há quase dois anos. Para trás ficou uma vida em Portugal e uma passagem pelo programa Secret Story, da TVI. Desde dezembro que Teresa Pais fixou-se no México, isto depois de se ter apaixonado pelo país. Perfeitamente adaptada à nova realidade, a jovem não pensa voltar a viver em Portugal, mas sabe bem o que quer para o futuro e isso passa por construir um surf camp e viver tranquila junto ao mar. Só ainda não decidiu o país.

Olá, Teresa. Para os mais distraídos, relembra-os porque é que a tua cara não lhes é estranha?
Já passaram sete anos desde que participei no “Secret Story 2”, programa que não tem muito a ver comigo neste momento, mas tudo são experiências desta grande aventura chamada vida.

Há quanto tempo estás a viver no México e como é a tua vida aí?
Cheguei ao México em dezembro, viajei um mês pelo país todo e, em janeiro, ‘aterrei’ em Tulum, onde vivo atualmente. Sou relações públicas no resort Papaya Playa Project.

Mas como é foste parar ao México?
Estou a viajar há quase dois anos. Andei 10 meses pela Ásia, vivi na Austrália, viajei pelos Estados Unidos e o meu plano era começar a descer toda a América Latina e chegar à Patagónia (bom, ainda tenho esse plano, mas sem data limite para chegar.). Quando cheguei ao México, em dezembro, ia ficar apenas uns dias, mas este lugar roubou-me o coração e já estou cá há 5 meses.

Como é a tua rotina diária? E Já te encontras completamente adaptada?
Acordo às 6h da manhã, trabalho das 7h às 15h. Vejo um dos nascer do sol mais bonitos de sempre, todos os dias, enquanto bebo o meu café. Depois do trabalho vou à praia, faço kitesurf, ginásio e no final do dia ainda há tempo para um copo com os amigos. ‘Life is good in Caribe’.

“Depois do trabalho vou à praia, faço kitesurf, ginásio e no final do dia ainda há tempo para um copo com os amigos”

E como é que ocupas os teus tempos livres?
Sou uma pessoa bastante ativa e a verdade é que em Tulum há sempre coisas para fazer, desde aulas de yoga pela manhã, aproveitar a praia, os cenotes únicos de Tulum e de toda a Riviera Maia, todos os resorts e beach clubs cheios de arte que vale a pena visitar. Há sempre algo novo a acontecer. Por exemplo, às terças adoro ir a um projeto de Wine and Draw num bar cool aqui de Tulum. Há umas semanas aprendi a fazer croché. Adoro ler. Não dispenso o ginásio e os meus passeios de bicicleta.

E esse calor sufocante, ainda faz mossa?
O nosso corpo e mente têm a capacidade de se adaptarem a novas situações. A época do calor insuportável vai começar em meados de maio. Eu vou para a Europa em junho, por isso, está tudo certo.

Fala-se muito da insegurança e violência no México. Já passaste por alguma situação mais complicada?
A verdade é que há situações menos boas que acontecem todos os dias nas ruas. Existem ainda bastantes problemas de narcotráfico, por exemplo, que são visíveis a olho nu. Felizmente, aos turistas passa-lhes ao lado, o que faz com que o turismo não baixe. Viajei sozinha pelo México, antes de viver em Tulum, e embora tenham acontecido algumas situações atípicas, nunca nada superou o amor que este país me deu e a maneira como me acolheu. Os mexicanos são um povo incrível. Consigo imaginar a minha vida aqui.

Costumas receber muitas visitas de amigos, ou tem sido só a Carolina Loureiro?
Vou recebendo visitas pontuais de amigos e conhecidos, que vão sabendo que estou aqui e aproveitam para conhecer e me visitar. Adoro ter amigos aqui e mostrar-lhes uma versão mais local de um sítio tão turístico como este. Claro que a minha visita favorita é a minha Carolina (risos).

Que outras viagens memoráveis fizeste?
Uma das viagens que marcou a minha vida foi sem dúvida a Birmânia (ou mais conhecido por Myanmar). Vivi num centro budista, fui enfermeira num hospital e viajei à boleia por este país onde quase não se fala inglês. Foi sem dúvida inspirador e mudou a minha maneira de viver. Aproveitar o hoje sem pensar tanto no amanhã. E agradecer mais do que pedir.

“Vivi num centro budista, fui enfermeira num hospital e viajei à boleia por este país onde quase não se fala inglês”

E quais te faltam fazer?
Tantas viagens que ainda quero fazer. Quero muito comprar uma van e sair do México em direção à Argentina e chegar ao ponto mais a sul (Ushuaia, a Terra do Fogo)! Quero também viajar pela Índia, ver a aurora boreal, a norte da Europa, e visitar a Namíbia. O mundo é demasiado grande para uma vida tão curta como a nossa.

Pensas regressar a Portugal?
Penso regressar a Portugal de férias, sempre que possa, mas não para viver. Quero construir um surf camp e viver tranquila junto ao mar, só não decidi ainda o país. Mas o México está em primeiro lugar na lista opções..

Com esse calor todo, andas sempre na praia e piscina?
Sim, passo a vida em praias e cenotes.

E tens feito sucesso com os mexicanos e outros turistas?
Tenho feito muitas amizades e conhecido pessoas incríveis. Do México e de outros países. Trabalho num resort, por isso, é fácil conhecer pessoas de todo o mundo.

Por falar nisso, como estás de amores?
Estou bem, melhor que nunca. Amo a vida e a vida ama-me. Há quem diga que somos um casal insuportável.

Do que sentes mais saudades de Portugal?
Da comida. Amo comer. Saudades do arroz doce, do bacalhau assado, do queijo, do pão quente com manteiga, do arroz de marisco, das alheiras, da feijoada, do carapau, do cozido à portuguesa. Ok, vou parar com isto (risos).

“Amo a vida e a vida ama-me. Há quem diga que somos um casal insuportável”

Usas o instagram para mostrar um pouco a tua vida. Qual é a tua foto preferida?
Sim, adoro fotografar tudo o que vejo. Quando for velhinha quero poder ver tudo aquilo que já vivi. E foram tantas as experiências e os lugares por onde já passei. Esta foto é uma das minhas favoritas, porque apercebo-me do quão pequenos somos ao lado da imensidão da natureza.

E costumas receber muitas mensagens?
Recebo bastantes mensagens engraçadas, desde a pedirem-me que os adotem ou com pedidos de casamentos. Rio muito com as mensagens que recebo. Há pessoas que me escrevem que querem realmente vir ter comigo e que os ajude a ter uma nova vida, outras que desabafam e olham para a minha a vida como uma inspiração. Tento responder a todas as mensagens e ajudar como posso, mas nem sempre consigo.

Para terminar. Quem são os mais giros, os homens portugueses ou os mexicanos?
Os mexicanos são mais quentes, os portugueses mais bonitos.

Ainda não segue a Teresa Pais no Instagram? Então não sabe o que anda a perder.

Artigo de
João Cidra

29-05-2018



RELACIONADOS