Tiger Woods conquista um Masters 11 anos depois, com escândalos, depressão e detenção pelo meio

Tiger Woods conquista um Masters 11 anos depois, com escândalos, depressão e detenção pelo meio

Desporto

Tiger Woods conquista um Masters 11 anos depois, com escândalos, depressão e detenção pelo meio

Golfista norte-americano conquista o primeiro Masters desde 2008 e está determinado a bater o recorde mundial.

Artigo de Bruno Seruca

16-04-2019

É necessário recuar até ao US Open de 2008 para encontrar o último Masters de golf conquistado por Tiger Woods. Desde então muitas coisas aconteceram na vida daquele que é considerado por muitos o maior golfista de todos os tempos. O jejum de vitórias terminou com a conquista do Masters de Augusta. Mas mais do que falar num momento de glória, este é o ponto de viragem na vida e carreira de um homem que, aos 43 anos, (ainda) quer fazer história.

Leia ainda: O craque que foi filmado a bater e a cuspir na namorada

 

Foi no início dos anos 2000 que Tiger Woods deixou o mundo rendido ao seu talento. Foi nesta altura que o atleta passou umas impressionantes 683 semanas no topo da lista dos melhores golfistas do mundo. E tudo parecia correr bem até 2009, o ano que marca o início de um período negro na vida pessoal do golfista norte-americano. Algo que acabou por influenciar a imagem mediática do atleta. E a vida desportiva daquele que era um ídolo para milhões de pessoas.

Escândalo sexual em 2009

À carreira de sonho Woods juntava uma vida pessoal aparentemente saída dos livros de contos de fadas. O golfista era casado com a modelo sueca Elin Nordegren, com quem tem dois filhos. Só que a 25 de novembro de 2009, o tabloide National Enquirer publica a história de Rachel Uchitel, uma amante de Tiger Woods. O escândalo estava lançado, mas tudo ficou ainda pior quando apareceram mais mulheres a assumirem-se como amantes do desportista. Como foi o caso da atriz pornográfica Joslyn James. Ao todo, mais de oito mulheres garantiram ter casos extraconjugais com Tiger Woods.

Tiger Woods ainda veio a público assumir a traição e efetuar um pedido de desculpas à mulher. Depois de uma separação bastante mediática, o casal acabou por se divorciar em 2010. Só que os problemas de Woods não se ficaram por aqui. Esta era apenas o início da decadência do atleta. Tiger Woods chegou a ser detido, em 2017. Por estar a conduzir num estado que os agentes não conseguiram perceber se se tratava de insónia, embriaguez ou influência de drogas.

Depressão, detenção e internamento numa clínica de reabilitação

A isto junta-se uma depressão, lesões e o internamento numa clínica de reabilitação. Aquele que era visto como o melhor jogador de todos os tempos estava agora num estado que poucos julgavam ser possível. De número 1 passou a 1199 do ranking e poucos acreditavam que voltaria ser um jogador de topo. Só que o golfista quis voltar a ser o que era. Em especial pelos filhos, Sam e Charlie que só conheciam o talento do pai dos vídeos que viam no YouTube.

Com a vitória no Masters de Augusta (o calendário internacional de golfe só tem quatro torneios deste calibre por ano), Woods fez aquilo que muitos acreditavam ser impossível. “Ter a minha mãe e os meus filhos aqui foi muito especial. O amor que os meus filhos me deram durante estes últimos anos tão difíceis para mim significou tudo. Eles voaram para a Escócia no verão passado para ver o último dia do British Opens e não pude ganhar. Não queria ser visto a perder duas vezes”, disse. “Tive a sorte de ter outra oportunidade para fazer algo que amo, mas o mais importante é que fui capaz de fazer parte da vida dos meus filhos de uma forma que não pude fazer durante anos”, acrescenta.

“Tive a sorte de ter outra oportunidade para fazer algo que amo”

Agora, aos 43 anos, Tiger Woods passa a contar com 15 Masters, ficando a apenas três do compatriota Jack Nicklaus. Esta conquista já teve retorno fora do campo, com a Nike a lançar um anúncio que recorda o momento em que Woods, com apenas três anos, diz ir bater o recorde de Nicklaus. Este apoio da marca norte-americana também acaba por ser importante para o atleta.

 

 

Na altura do escândalo sexual, diversas marcas rasgaram os contratos publicitários com Woods. Foi a decisão tomada ela TAG Heur, AT&T e Accenture. Já a Nike esteve sempre do lado do golfista, garantindo que será a imagem da marca até ao dia em que se retire. Também a Rolex, NetJets e EA Sports ficaram ao lado do atleta.

Apoiado por Obama, Trump, LeBron James e muitos outros

Uma das provas de que a conquista de Tiger Woods é muito mais do que a vitória num torneio, está a ser dada pelas reações à conquista. Donald Trump e Barack Obama, presidente e ex-presidente dos Estados Unidos da América, recorreram às redes sociais para dar os parabéns a Woods. “Voltar a vencer o Masters depois de todos os altos e baixos é uma prova de excelência, coragem e determinação”, escreveu Obama. “Um verdadeiro grande campeão. Amo pessoas que são grandes sob grande pressão”, refere Trump.

LeBron James, Kobe Bryant, Tom Brady, Stephen Curry e Serena Williams são apenas mais alguns exemplos de celebridades que vieram a público saudar a conquista de Tiger Woods. Agora, só o tempo dirá se o golfista, atual número 6 do mundo, ainda vai a tempo de cumprir a promessa feita em criança.

Fotos: Reprodução Instagram

Artigo de
Bruno Seruca

16-04-2019



RELACIONADOS