Premier League. O clube que não tem reforços e as 10 transferências mais caras

Premier League. O clube que não tem reforços e as 10 transferências mais caras

Desporto

Premier League. O clube que não tem reforços e as 10 transferências mais caras

As 10 maiores transferências do campeonato inglês movimentaram mais de 500 milhões de euros, mas um clube de topo não gastou um cêntimo em reforços.

É considerado um dos melhores campeonatos do mundo. Além da competitividade, a Premier League é conhecida pela riqueza dos clubes e dos muitos milhões que os emblemas têm para gastar em reforços que permitam lutar pelos objetivos. O mercado de verão já fechou e as 10 transferências mais caras movimentaram mais de 500 milhões de euros.

E se José Mourinho, treinador do Manchester United, queixou-se da falta de recursos, há um caso inédito de um clube que não comprou nem vendeu nenhum jogador. O Tottenham é oficialmente o primeiro clube a não contar com reforços para uma nova época. Algo que nunca tinha acontecido desde 2003, altura em que foi instituída uma data limite para as transferências.

O Tottenham conseguiu o feito inédito de não vender ou comprar jogadores.

A equipa londrina, treinada por Mauricio Pochettino vai começar a nova época com os mesmos jogadores pois o Tottenham também não vendeu nenhum atleta. “Estou contente por termos conseguido manter a equipa toda junta. Com o dinheiro que estamos a investir no estádio, a direção fez um esforço enorme para renovar contratos e manter a equipa toda junta. Estou muito contente com os jogadores que temos”, disse o treinador ao Guardian.

 

 

Apesar do feito inédito, o Tottenham tentou contratar Jack Grealish ao Aston Villa. Sendo que também esteve perto de vender os passes de Danny Rose, Toby Alderweireld e Moussa Dembelé. E se o clube londrino não gastou dinheiro, existem equipas que gastaram muitos milhões em reforços. O top 10 das transferências mais caras conta com dois guarda-redes e três dos negócios foram feitos pelo Liverpool.

Entre na galeria e conheça os negócios mais caros da Premier League.

Fotos: Reprodução Instagram
Artigo de
Bruno Seruca

RELACIONADOS