Na hora de praticar atividade física, os ombros e joelhos são dos que mais sofrem

Na hora de praticar atividade física, os ombros e joelhos são dos que mais sofrem

Desporto

Na hora de praticar atividade física, os ombros e joelhos são dos que mais sofrem

Atividade física é uma das recomendações mais importantes para um estilo de vida saudável, contribuindo para um corpo e mente sãos, mas é preciso fazê-lo em segurança, evitando lesões.

Artigo de Equipa Paraeles

06-04-2022

Praticar atividade física é uma das recomendações mais importantes para um estilo de vida saudável, contribuindo para um corpo e mente sãos, mas é preciso fazê-lo em segurança, evitando lesões. Entre as mais comuns encontram-se a rotura do ligamento cruzado anterior do joelho e a instabilidade recidivante do ombro e, que por vezes, levam à necessidade de intervenções cirúrgicas.

Bárbara Campos, Ortopedista e Coordenadora de Ortopedia das Clínicas Joaquim Chaves Saúde, explica que estas “são ambas lesões traumáticas: a rotura do ligamento cruzado anterior resulta de uma entorse do joelho e a luxação recidivante do ombro de movimentos de abdução e rotação externa forçados. São comuns no contexto de desportos de contacto, com quedas sobre o membro superior. Muitas vezes há a necessidade de uma intervenção cirúrgica quer numa, quer na outra, para restabelecer a anatomia e para permitir poder continuar a praticar a atividade desportiva”.

Leia ainda: Três tipos de alimentos que aceleram a recuperação de uma lesão desportiva

Atividade física é importante para um estilo de vida saudável

A boa notícia é que, em ambas as situações, as cirurgias são minimamente invasivas, feitas através de artroscopia, uma técnica “menos agressiva, possibilitando um pós-operatório menos doloroso” e um período de internamento curto. Porém, a especialista refere que, no que respeita à recuperação, o período “é relativamente longo, geralmente até aos seis meses após a cirurgia”.

Leia ainda: 5 razões para os agachamentos serem uma parte fundamental no treino

Atualmente, no caso da luxação recidivante do ombro, a operação de Latarjet é “um tratamento extremamente eficaz”. Apesar de não ser uma cirurgia nova (tendo sido, inicialmente, descrita por Michel Latarjet em 1954), este procedimento é realizado na Clínica Cirúrgica de Carcavelos da Joaquim Chaves Saúde de forma diferente, “por via artroscópica, sem abrir a articulação, com recurso a uma câmara e com pequenos orifícios de trabalho a que chamamos portais”. As complicações “são geralmente raras e pouco graves, não requerendo re-intervenções cirúrgicas, nem afetando o resultado final”. Quanto à recuperação, esta “consiste em um período curto de imobilização, seguido de um programa de reabilitação de aproximadamente quatro meses”.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

06-04-2022



RELACIONADOS