Glider, a trotinete elétrica com baterias amovíveis

Glider, a trotinete elétrica com baterias amovíveis

Consumo

Glider, a trotinete elétrica com baterias amovíveis

Nova aposta da Inboard Tecnhology atinge uma velocidade máxia de 32 km/h.

Artigo de Bruno Seruca

08-10-2018

Conhecida pelos skates elétricos, que são cada vez mais populares e uma das alternativas de mobilidade urbana, a Inboard Technology foi buscar inspiração ao skate M1 para criar uma trotinete elétrica que está a despertar enorme curiosidade junto dos consumidores. A Glider tem motores localizados nas rodas e tem uma potência de 750W, que se traduz numa velocidade máxima de 32 km/h, o que faz com que seja uma ótima opção para caminhos inclinados. A isto junta-se um sistema de travagem regenerativa.

A trotinete elétrica foi criada com base na ideia da facilidade de troca das baterias, cada uma com uma autonomia de aproximadamente 20 quilómetros. Quem pretenda usar a Glider para percursos mais longos, poderá optar pela compra adicional de baterias que se ajustem à necessidade de cada um. Outro ponto a favor passa pela arrumação. A Glider dobra-se, o que faz com que seja fácil de arrumar, mesmo no local de trabalho. Em movimento conta ainda com iluminação LED à frente e atrás.

A Glider tem um preço de aproximadamente 1106 euros

Os interessados vão ter de aguardar até fevereiro do próximo ano para poder adquirir a Glider. O preço da trotinete elétrica ronda os 1106 euros. Além de querer comercializar a Glider através da venda direta aos consumidores, a Inboard Technology espera vir a ceder frotas de trotinetes a empresas, universidades e também cidades que desejem apostar em alternativas de mobilidade urbana.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Tamara Gorro despe-se “porque quer e não faz mal a ninguém” e o mundo virtual enlouquece. Saiba tudo e veja a foto em paraeles.pt #paraeles #fama #musa #tamaragorro

Uma publicação partilhada por ParaEles (@paraelesofficial) a

Percorra a galeria e veja mais imagens da trotinete elétrica

Fotos: DR

Artigo de
Bruno Seruca

08-10-2018



RELACIONADOS