Quando a Breitling e Kelly Slater se juntam, o resultado é este

Quando a Breitling e Kelly Slater se juntam, o resultado é este

Consumo

Quando a Breitling e Kelly Slater se juntam, o resultado é este

A marca suíça criou um relógio inspirado no mar e na sua proteção. Resulta de uma parceria com a Outerknown, marca de roupa sustentável de Kelly Slater.

Artigo de Hugo Mesquita

08-11-2018

O que fazem juntos a Breitling, uma das mais luxuosas marcas de relógios, e o mais titulado dos surfistas mundiais? É simples: um relógio diferente. E que relógio, podemos afiançar. Muito dificilmente o resultado final deste encontro podia ser melhor.

É o Breitling Superocean Héritage II Chronograph 44 Outerknown, o mais recente modelo da marca suíça, que resulta de uma parceria com a Outerknown, marca de roupa sustentável de Kelly Slater, que tem como principal preocupação a conservação dos oceanos.

Como seria de esperar, neste novo modelo o tema do mar é figura de proa. Este é o primeiro relógio da marca com a bracelete feito em tecido, neste caso em Econyl, um material feito a partir de resíduos de nylon provenientes de redes de pesca recolhidas dos oceanos.

Claro que, tanto a bracelete como o mostrador, têm tons de azul-marinho. Também os ponteiros, revestidos de superluminova, emitem uma luz azul, ao invés do verde, cor padrão da Breitling.

Junte-se a nós no Instagram:

 

Novo relógio da Breitling já está à venda

Um relógio a pensar nos amantes do mar tinha que ser resistente à água (resiste até 200 metros). Tem ainda uma caixa em aço inoxidável e o vidro do mostrador, de safira, é antirreflexo.

Automático, este modelo tem uma reserva de marcha de pelo menos 42 horas e pequenos cronómetros para 30 minutos, 12 horas e também para 1/4 segundo. No visor temos a indicação da data e do dia da semana.

Pertencente à linha Superocean, o Breitling Superocean Héritage II Chronograph 44 Outerknown está à venda no site da marca por 5530 euros.

Percorra a galeria e veja imagens deste novo relógio da Breitling.

Fotos:Breitling
Artigo de
Hugo Mesquita

08-11-2018



RELACIONADOS