Mulheres conseguem esconder melhor as traições do que os homens

Mulheres conseguem esconder melhor as traições do que os homens

Amor e Sexo

Mulheres conseguem esconder melhor as traições do que os homens

Um estudo de uma universidade australiana chegou à conclusão de que é mais difícil identificar uma mulher que trai do que o contrário.

Artigo de Equipa Paraeles

05-05-2019

As mulheres conseguem esconder melhor as traições do que os homens. Esta é a conclusão de um estudo da Universidade da Austrália Ocidental. O grupo de investigadores juntou 1500 indivíduos e pediu para que visualizassem imagens de 189 adultos (101 homens e 88 mulheres) e identificassem pessoas infiéis.

Leia também: Wanda Metropolitano, de palco da final da Champions a cenário de filme porno

Os entrevistados foram convidados a avaliar os rostos numa escala de 1 a 10. 1 significava “nem um pouco provável de que seja infiel” e 10 “extremamente provável”. Analisados os dados, chegou-se à conclusão de que “tanto homens quanto mulheres foram precisos ao avaliar a probabilidade dos homens, mas não das mulheres, traírem e ‘roubarem o parceiro alheio”.

Veja o vídeo:

Homens e mulheres não conseguem identificar rostos femininos infiéis

Os investigadores queriam não só perceber se homens e mulheres conseguiam identificar uma possível infidelidade do outro, mas também se seriam capaz de deter uma pessoa infiel do mesmo sexo. Os resultados, admitem os cientistas, foram inesperados. Os homens foram capazes de identificar pessoas que traem entre outros homens. Mas mesmo quando outras mulheres julgavam pares do mesmo género, a fêmea da espécie era indecifrável.

Leia ainda: Conheça as 10 músicas mais ouvidas durante o sexo

Os resultados deste estudo foram publicados na revista científica Royal Society Open Science. “Homens e mulheres mostraram uma precisão acima da média para os rostos masculinos, mas não para os rostos das mulheres. Portanto, a infidelidade percebida pode, de fato, conter algum núcleo de verdade nos rostos masculinos, mas não nos femininos”, escreveram os investigadores responsáveis pelo estudo.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

05-05-2019



RELACIONADOS