Esta é a melhor forma de manter a chama acesa e nem sempre acaba em sexo

Esta é a melhor forma de manter a chama acesa e nem sempre acaba em sexo

Amor e Sexo

Esta é a melhor forma de manter a chama acesa e nem sempre acaba em sexo

Conceituado especialista defende que o segredo da chama acesa está nos casais que excitam em conjunto, todos os dias, mesmo que isso não leve ao sexo.

Artigo de Equipa Paraeles

02-08-2022

A fórmula perfeita para manter sempre a chama acesa numa relação é o santo graal que todos procuram, mas que muitos poucos encontram. A resposta ronda sempre em volta do “quebra a rotina”, mas esta acaba por ser um pouco vaga, principalmente quando em causa está salvar o casamento/relação. Um conceituado sexólogo, Stephen Snyder, defendeu em entrevista ao “The Times” que a solução está no “simmering”.

Leia ainda: 11 famosas portuguesas que já fizeram topless

Esta é a melhor forma de manter a chama acesa, mesmo que isso não leve ao sexo

“Um homem está a sair de casa de manhã para o trabalho. Beija a sua mulher e enterra a sua cara no seu cabelo para inspirar o seu cheiro. Os seus braços seguram a sua cintura para a puxar mais perto. O seu corpo molda-se ao dele e, por uns momentos, respiram juntos, ambos excitados. Depois, ele olha para o relógio e sai apressado, dizendo-lhe adeus”. Esta é a definição de simmering dada por Snyder. Resumidamente, o especialista defende que os casais que excitam em conjunto, todos os dias, mesmo que isso não leve ao sexo, são os mais felizes. Em sentido inverso, defende que o pior que um casal pode fazer é “não se deixar excitar um ao outro”.

Veja o vídeo:

Os adolescentes são os melhores praticantes de “simmering”

Stephen Snyder afirma também que ter “relações sexuais menos do que uma vez por semana não é o suficiente”. Se existir falta de tempo, o “simmering” não será um problema já que não deve demorar mais do que um minuto. Caberá ao casal criar um ambiente excitante no menor tempo possível. Um beijo apaixonado na despedida de manhã ou umas carícias podem ser o suficiente. O especialista dá como exemplo os adolescentes que, não tendo privacidade muitas das vezes, acabam por aproveitar qualquer momento e recanto para criar intimidade.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

02-08-2022



RELACIONADOS