Estudo revela que há muita violência não consentida durante o sexo

Estudo revela que há muita violência não consentida durante o sexo

Amor e Sexo

Estudo revela que há muita violência não consentida durante o sexo

Estudo sobre a violência no sexo revela que um terço das mulheres já foram agredidas, estranguladas ou receberam cuspidelas não desejadas durante o sexo.

Artigo de Hugo Mesquita

11-12-2019

A pornografia pode ser uma boa fonte para retirar algumas ideias para apimentar na hora h. É, no entanto, importante saber separar as coisas, não confundindo o que é ficção com a realidade. Essa barreira é muitas vezes ultrapassada. E, pelo facto de grande parte da pornografia ter um certo “exagero” (de diferentes formas) acaba por resultar em grandes mal-entendidos. Pior que isso, em atos de violência. Um estudo britânico, realizado pela BBC Radio 5, revela que um terço das mulheres com menos de 40 anos no Reino Unido já foram agredidas, estranguladas ou receberam cuspidelas não desejadas durante o sexo. 20 por cento das mulheres, mesmo daquelas cujos atos foram desejados, revelaram ter se sentido magoadas ou com medo.

Leia ainda: Descubra o que as mulheres mais gostam na cama

Aquela rádio inglesa recorre a uma jovem de 23 anos para reforçar a ideia. Chama-se Anna e afirma que sofreu atos de violência não desejados durante o sexo consentido em três ocasiões diferentes, com homens distintos. Segundo a jovem, tudo começou com uma “pequenas palmadas e puxar de cabelo”, mas acabou com um dos homens a tentar enforcá-la.

“Fiquei chocada”, explicou. “Senti-me extremamente desconfortável e intimidada. Se alguém te pontapeasse ou enforcasse na rua, seria um caso de agressão”, repara.”Daquela vez em diante, praticamente todos os rapazes tentaram pelo menos uma, quando não várias, dessas ações”, confessa.

Veja o vídeo:

Violência não consentida durante o sexo está relacionada com pornografia

A jovem fala de um comportamento que é cada vez mais comum, principalmente entre os mais jovens. E revela que percebeu isso em conversa com amigas, que tiveram experiências semelhantes e que encararam isso com naturalidade. “Eu sei que algumas mulheres vão dizer que gostam disto. Mas o problema é os homens assumirem que todas as mulheres gostam”, afirma.

Veja também: Site mostra com quantas pessoas já teve relações indiretamente

Este estudo da BBC Radio 5 entrevistou um total de duas mil mulheres entre os 18 e os 39 anos, no Reino Unidos. Concluiu que mais de um terço das entrevistadas (38%) sofreram violência não desejada durante o sexo. Cerca de 31% disseram ou que nunca passaram por isso ou que passaram, mas que os atos violentos foram desejados e consensuais. Cerca de 31% optaram pelo silêncio.

Uma ONG que combate a violência contra mulheres na Inglaterra e País de Gales revela que estas conclusões “são resultado da grande disponibilidade e normalização de pornografia de extrema violência”. E afirma ainda que os números mostram uma “crescente pressão sobre mulheres jovens para que elas concordem com atos violentos, perigosos ou degradantes”.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
Hugo Mesquita

11-12-2019



RELACIONADOS