5 regras fundamentais sobre a depilação genital

5 regras fundamentais sobre a depilação genital

Amor e Sexo

5 regras fundamentais sobre a depilação genital

A depilação genital deixou de ser tema tabu e é transversal a homens e mulheres de todas as idades. Levanta algumas questões e obriga a determinados cuidados.

Artigo de Equipa Paraeles

15-11-2022

A depilação genital é cada vez mais comum e transversal tanto a homens como mulheres e de todas as idades. O tabu ficou guardado na gaveta e muitos adotaram já este comportamento e por várias razões, desde estéticas, de autoestima, higiene ou até mesmo para melhorar o próprio ato sexual. Ainda que seja comum, levanta uma série de questões que se devem de ter em conta. Desde logo importa explicar que os pêlos genitais existem como forma de proteção dos órgãos sexuais, pelo que importa de sobremaneira ter uma atenção redobrada sobre a região quando optamos pela depilação.

Leia ainda: 4 em cada 5 mulheres têm esta fantasia sexual

Não apenas a nível de limpeza, como também de hidratação da pele, importante também para evitar irritações cutâneas na zona. E que cuidados devemos então ter? Duas médicas norueguesas Nina Brochmann e Ellen Stokken escreveram um livro Viva a Vagina! em que elencam algumas recomendações sobre a melhor forma de fazer a depilação nesta zona sensível do corpo. Dicas que, embora escritas a pensar no público feminino, podem igualmente ser adotadas pelo homem, já que os cuidados são basicamente os mesmos.

5 cuidados a ter com a depilação genital

Não rapar contra o sentido dos pêlos. É verdade que se rapar contra o sentido do pelo, a pele vai ficar mais macia, porque está a cortar abaixo da linha da superfície da pele. Mas, desta forma, estará a facilitar o surgimento de pêlos encravados.

Use uma lâmina nova. Não guarde a lâmina para várias utilizações pois podem conter infeções. O melhor é usar sempre uma nova e afiada, pois este tipo de lâminas permite um corte mais preciso do pelo, “permitindo-lhe crescer mais facilmente e sem encravar”, dizem as autoras.

Veja também: O perigo que as mulheres correm quando fazem isto na internet

Recargas de uma lâmina. O corte do pêlo abaixo da superfície da pele deve ser evitado para que não haja lugar a pêlos encravados, pelo que deve utilizar recargas com mais do que uma lâmina. Além disso, explicam as autoras, estas opções, por serem mais caras, são um fator dissuasório de haver uma menor frequência de troca de material.

Depilação no duche. “Raspar os pêlos a seco deve ser evitado a todo o custo”, alertam as autoras do livro, referindo também que há maior probabilidade de irritar a pele e ter mais dificuldade em remover os pelos. A lavagem abundante é essencial e recomenda-se que raspe durante um duche, quando os pêlos estão mais amolecidos.

Usar exfoliante. Lave a área genital com cremes esfoliantes. Faça-o com movimentos suaves e circulares de forma a ajudar a libertar os pêlos encravados e a limpar a pele.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

PÈ
Artigo de
Equipa Paraeles

15-11-2022



RELACIONADOS