5 mudanças no sexo no pós-confinamento

5 mudanças no sexo no pós-confinamento

Amor e Sexo

5 mudanças no sexo no pós-confinamento

A pandemia e o confinamento provocaram mudanças nas rotinas que dificilmente regressarão ao que eram antes. Isso aplica-se também no sexo.

Artigo de Hugo Mesquita

10-08-2020

A pandemia virou o mundo completamente do avesso. As rotinas mudaram e muito provavelmente não vão voltar ao que eram antes. E isto aplica-se a tudo, sexo incluído. Muitas das mudanças são resultado do longo período de confinamento e deverão manter-se para lá dele.

Leia ainda: Hotel ou motel? Saiba qual a melhor opção para uma inesquecível noite de sexo

Os casais passaram por cenários em confinamento que muito provavelmente nunca tinham passado. Experiências como passar demasiado tempo juntos, medo do desconhecido, problemas financeiros, crises de ansiedade, desemprego e um nível elevado de stress.

Naturalmente, estas novas experiências fazem mossa. Até mesmo nos casais com relações ditas mais saudáveis. Mas o que mudou realmente? A revista The Huffington Post consultou vários especialistas e apurou o que mudou no sexo no pós-confinamento. Foram apontadas cinco grandes mudanças.

Veja o vídeo:


 

As 5 coisas que mudaram no sexo pós-confinamento:

Desejos contrários. ” É comum que as pessoas sintam baixo desejo sexual quando estão sob demasiado stress, ou estejam a lidar com traumas”, explica a psicóloga e terapeuta sexual de Los Angeles, Shannon Chavez, em declarações à publicação britânica. O confinamento pode ter efeitos contrários. Como há quem tenha menos desejo, há igualmente quem tenha mais.  Para algumas pessoas, o tempo fechadas em casa acelerou os seus mecanismos sexuais.

Mais pornografia. Os sites de pornografia subiram consideravelmente as visitas durante a pandemia. O Pornhub registou um aumento no seu tráfego diário de quase 25% desde 25 de março, depois de libertar conteúdo premium gratuito por um mês. 

Mais masturbação. O distanciamento físico entre todas as pessoas que não moravam juntas fez com que as pessoas procurassem conhecer melhor o corpo, nomeadamente através da masturbação. Houve um crescimento na procura por brinquedos sexuais.

Veja o vídeo:

Saúde mental. Problemas de saúde mental, como depressão, cresceram e estão na ordem do dia devido à pandemia e, naturalmente, afetam o ato sexual. Escrevemos um artigo sobre o assunto que pode reler aqui.

Veja também: Comer, dormir e fazer sexo, o segredo para acabar com o stress

Mais sexo virtural. As pessoas têm visto nesta ferramenta uma forma mais segura de se relacionarem, sem necessitarem de contacto físico.

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Siga o ParaEles no Instagram
Instagram @paraelesofficial

Artigo de
Hugo Mesquita

10-08-2020



RELACIONADOS