A importância de trabalhar os glúteos

A importância de trabalhar os glúteos

Desporto

A importância de trabalhar os glúteos

O treino desta zona do corpo (ignorada por muitos homens) é importante para ambos os géneros. O personal trainer dos famosos, Nilton Bala, explica porquê.

Quando vamos treinar devemos ter em atenção todas os músculos do nosso corpo. Optar por treinar somente uma parte específica pode gerar descompensações que podem ser prejudiciais à nossa saúde. A melhor forma de gerir o nosso treino, passa por dividir os dias de treino por zonas musculares. Fazendo com que no final da semana o treino tenha sido o mais completo e abrangente possível. Entendido isto, importa realçar a importância do treino dos glúteos.

O treino desta zona do corpo (ignorada por muitos homens) é importante para ambos os géneros. O personal trainer dos famosos, Nilton Bala, explica porquê:

«Os glúteos estão inseridos nas nádegas e fazem a ligação da cintura pélvica com o osso da coxa. Esta musculatura tem importância fundamental para a estabilização da coluna, a locomoção motora e até na postura do ser humano. O fortalecimento muscular dos glúteos permite manter o corpo ereto durante o movimento, sendo o principal impulsionador das pernas na marcha, auxiliando nos gestos simples como sentar ou levantar. O reforço deste grupo muscular no caso dos praticantes de corrida ajuda e previne o surgimento de eventuais lesões, reduzindo o impacto articular decorrente da atividade. A musculatura conjunta entre o quadril e as costas suporta a coluna na sua posição natural. Se esta região estiver enfraquecida, o sistema ósseo não tem a estabilidade necessária provocando em algumas situações, dor na coluna», explica o educador físico que é considerado o «Personal Trainer das Estrelas» em Portugal.

 

 

«O motor primário para o fortalecimento dos glúteos é a execução do agachamento»

«Com os glúteos fortalecidos aumentam a probabilidade de melhorar a sua qualidade de vida, independentemente do sexo. Tendo em conta esta situação, o fortalecimento dos glúteos é fundamental para qualquer ser humano, tanto no homem como na mulher. Para fortalecer esta região, podemos executar diferentes exercícios, como a elevação do quadril, extensão do quadril na máquina ou com caneleira, o lunge estático ou com avanço. Várias hipóteses são possíveis. Na minha opinião, o motor primário para esse fortalecimento é a execução do agachamento por ser um movimento extremamente completo, onde conseguimos solicitar todas as porções da musculatura e variando o nível de dificuldade do exercício», esmiúça Nilton Bala.

«A grande importância para a ter qualidade de treino no sentido de desenvolver significativamente os glúteos são as manipulações de variáveis que podemos introduzir com o objetivo de ser eficaz nos resultados finais. A intensidade de treino pode alterar-se por exemplo, se executarmos um exercício com diferentes cadências na sua execução. Ao realizar um simples agachamento é totalmente diferente executar uma repetição com a duração de 2 ou 6 segundos; quanto mais tempo mantiver a musculatura em tensão maior será a agressão provocada sobre a mesma. O tempo de descanso entre séries é uma variável importante no rendimento do seu treino assim como ter uma boa qualidade no seu descanso, procurando repousar no mínimo 7 a 8 horas diárias», completa o personal trainer do brasileiro naturalizado português Deco, que fez história jogando pelo Barcelona, da Espanha.

Lê também: Diferenças entre treinar no inverno e verão

Importância da hidratação

«A hidratação é fundamental para que haja um equilíbrio interno do organismo. Durante os treinos ocorrem perdas de grandes quantidades de água e é preciso regular esta situação hidratando-se antes, durante e após a realização do treino», finaliza Nilton Bala.

Sobre o último conselho de Nilton, já tínhamos antes alertado para a importância da hidratação durante o treino, no artigo sobre os hábitos que qualquer desportista deve ter. Aproveita e vê os outros quatro conselhos que deixámos para ti.

Foto: Carlos Teixeira / MF Press Global
Artigo de
Hugo Mesquita

RELACIONADOS