“Au revoir”, Arsène Wenger. 22 factos sobre o treinador que deixa o Arsenal no final da época

“Au revoir”, Arsène Wenger. 22 factos sobre o treinador que deixa o Arsenal no final da época

Desporto

“Au revoir”, Arsène Wenger. 22 factos sobre o treinador que deixa o Arsenal no final da época

É o fim de uma era. Depois de 22 anos à frente do Arsenal, o treinado francês anuncia que abandona os “gunners” no final da época.

Após meses de especulação chega a confirmação de que Arsène Wenger deixa o Arsenal. “Após uma cuidada ponderação e conversações com o clube, sinto que a altura certa para sair é no final da época”, diz o treinador francês num comunicado publicado na página oficial do clube londrino. Arsène Wenger chegou ao Arsenal na época de 1996/97 e para a histórica ficam três títulos (1998, 2002 e 2004), sete Taças de Inglaterra e outras tantas Taças da Liga. Na hora de dizer “au revoir” a Arsène Wenger, partilhamos 22 factos sobre o treinador francês.

“Após uma cuidada ponderação e conversações com o clube, sinto que a altura certa para sair é no final da época”

1 – Mudou a Premier League
Arsène Wenger foi o primeiro treinador não-britânico a vencer a exigente Premier League. Acabou por ser o treinador estrangeiro que abriu portas para que outros seguissem o seu exemplo. Como é o caso de José Mourinho, Antonio Conte e Pep Guardiola, todos campeões em Inglaterra. Foi também Wenger que deu um contributo importante para o multiculturalismo que atualmente existe na Premier League.

2 – Contratou a maior estrela do Arsenal
Este é um dos pontos de maior orgulho dos adeptos dos gunners. Thierry Henry chegou ao Arsenal em 1999, tendo abandonado os londrinos em 2007. Para a história ficam 228 golos em 377 jogos.

3 – Atento ao mercado
Thierry Henry não foi a única contratação de excelência de Wenger. Ljunberg, Van Persie, Overmars, Anelka, Fàbregas, Patrick Vieira e Campbell chegaram ao clube por indicação do francês e acabaram por se transformar em estrelas do clube. Boa parte deles ainda foram vendidos por valores muito altos.

Arsène Wenger contratou grandes jogadores e nunca entrou em loucuras milionárias

4 – Apostas erradas
É certo que contratou Henry e muitos jogadores que acabaram por se transformar em estrelas. Mas Arsène Wenger também teve muitas apostas erradas, escolhendo jogadores que deixaram os adeptos furiosos. Sanogo, Denílson, Chamakh, Squillaci e Bendtner são apenas alguns exemplos.

5 – Ibrahimovic, Cristiano Ronaldo, Bale e outros mais
O mundo do futebol não é feito de “ses”. Mas é impossível não pensar nisso quando se observa a lista de jogadores que estiveram muito perto de vestir a camisola do Arsenal. Pogba, Cristiano Ronaldo, Bale e Ibrahimovic são apenas alguns exemplos. “Zlatan não faz testes”, disse o sueco quando Arsène o convidou para treinar à experiência nos gunners.

“Au revoir” Arsène Wenger! 22 fatos sobre o treinador que deixa o Arsenal no final da época
Zlatan Ibrahimovic

6 – Falta de ambição
Wenger contratou muitos jogadores de classe, mas muitos entendiam que o treinador tinha falta de ambição. O que fez com que saíssem para outros clubes onde viriam a ganhar títulos. Foi assim com Fàbregas (Barcelona), Van Persie (Manchester United) e Touré, Nasri e Clichy (Manchester City).

Os adeptos dos gunners acusam Wenger de falta de ambição

7 – Invencível
Lehman, Lauren, Kolo Touré, Campbell e Ashley Cole; Gilberto Silva, Patrick Vieira, Robert Pires e Ljunberg; Henry e Bergkamp. Este é o onze base do único clube que venceu a Premier League sem qualquer derrota. Em 38 jogos, o Arsenal venceu 26 e empatou 12. Henry foi o melhor marcador com 30 golos. O equipa de 2003/2004 foi a melhor que Wenger treinou.

8 – Só “perde” duas vezes para o Tottenham
Conhece o St Totteringham’s Day? É o dia em que os adeptos do Arsenal festejam o fato de ficar à frente do Tottenham, o grande rival dos gunners. Com Wenger ao serviço do clube londrino, o Arsenal apenas ficou numa ocasião atrás do Tottenham. Aconteceu na época passada e deverá acontecer nesta.

9 – Títulos à custa dos rivais
Os últimos dois títulos conquistados por Arsène Wenger foram obtidos fora de casa, mas não num campo qualquer. Em 2002, os gunners venceram em Old Trafford. Já em 2004/04 empataram em casa do grande rival, Tottenham. Este jogo até deu direito a música.

10 – Poucos títulos, muitas taças
Só dois treinadores conseguiram conquistar a Taça de Inglaterra em seis ocasiões: George Ramsey (ao serviço do Aston Villa, entre 1887 e 1920) e Arsène Wenger.

O francês é dos que mais taças conquistou em Inglaterra

11 – 20 anos de Champions
É certo que não conquistou muitos títulos mas Arsène Wenger pode gabar-se de ter ouvido o hino da Champions em 20 anos seguidos. Na época passada foi a primeira vez que os londrinos participaram diretamente na Liga Europa.

12 – Mas sempre eliminado
É verdade que o Arsenal conseguiu participar na Liga dos Campeões em muitas ocasiões consecutivas. Mas os adeptos nunca perceberam o porquê das constantes eliminações, muitas delas precoces. O melhor que Wenger conseguiu foi chegar à final da competição em 2006, que acabaria por perder para o Barcelona.

13 – Um dos mentores do Emirates Stadium…
O mítico Highbury Park foi a casa do Arsenal durante mais de 90 anos. Foi lá que Wenger conquistou os três títulos ingleses, mas o treinador foi um dos mentores do novo estádio. O francês sempre defendeu que o novo estádio – semelhante ao Estádio da Luz – teria um grande impacto na faturação dos londrinos.

14 – … e do campo de treinos
Ainda antes do nascimento do Emirates Stadium, o treinador francês exigiu a construção de um campo de treinos para o clube. Na altura, o Arsenal dividia instalações com uma universidade londrina e os jogadores chegavam a ter de deixar de treinar por causa de jogos universitários. Foi mais um passo importante no crescimento do clube.

“Especialista em fracassos”, disse Mourinho sobre o francês

15 – Treinador poupadinho
O investimento no estádio e no centro de treinos levou o clube a apostar em menos reforços. Pelo menos este era o argumento do treinador que tem um mestrado em Economia. É certo que o clube nunca viveu uma fase complicada a nível financeiro, o que leva os adeptos a não gostarem muito de o treinador não apostar em grandes jogadores, preferindo manter-se à margem dos negócios milionários.

16 – “Especialista em fracassos”
Arsène Wenger passou quase uma década sem nada conquistar. Depois da conquista da Taça de Inglaterra (2005), o Arsenal só voltou a festejar quando conquistou a Taça de Inglaterra (2014). José Mourinho chegou mesmo a dizer que Wenger era “especialista em fracassos”.

17 – Guerras com Mourinho
Para a história ficam as guerras de palavras entre José Mourinho e Arsène Wenger. O treinador português chegou a acusar o francês de ser “voyeur”, algo que deixou o treinador do Arsenal furioso.

18 – Jogo 1000 para esquecer
Quis o destino (ou a sorte do sorteio) que o milésimo jogo de Arsène Wenger à frente do Arsenal fosse contra o Chelsea de José Mourinho. Wenger nunca esquecerá o dia 22 de março de 2014 pois foi nessa data que perdeu 6-0 contra o grande rival.

19 – Pior derrota
O 6-0 no jogo com o Chelsea não representa a maior derrota de Wenger. O treinador francês já tinha sido goleado, em 2011, por 8-2 no campo do Manchester United. A estrela do jogo foi Wayne Rooney que marcou três golos.

Adeptos não perdoam título perdido para o Leicester

20 – O título perdido que os adeptos não perdoam
A época 2015/16 foi histórica para a Premier League. O modesto Leicester foi o campeão com o Arsenal a ficar em segundo lugar. Os adpetos não perdoam o francês por ter perdido, desperdiçando pontos em jogos fáceis, aquele que poderia ter sido o campeonato mais fácil da história devido às más prestações dos clubes rivais.

21 – Não gosta de tradições
Enquanto treinador do Manchester United, Sir Alex Ferguson tinha a tradição de convidar os treinadores adversários para beber um copo de vinho. Arsène Wenger foi o único que nunca aceitou o convite.

22 – Agarrado ao lugar
Ao longo das últimas épocas, Arsène Wenger foi acusado pelos adeptos de estar agarrado ao lugar. Em diversos jogos os adeptos pediram a demissão do treinador. Algo que acontece agora, com Wenger a decidir sair do clube.

Fotos: Reprodução Instagram

Artigo de
Bruno Seruca

RELACIONADOS